Obsessivo-comunicativo

Socialmente Sobre-apto

Estás numa festa. Os teus amigos estão lá fora, ou na casa de banho, ou em outra divisão. Sentes-te pouco à vontade porque não conheces praticamente ninguém, não estas num local familiar e, do outro lado da sala avistas o dono da casa que mantém contacto visual contigo. O estranho aqui: apenas falaste um par de vezes com o tipo e ele não tira os olhos de ti. Praticamente forçado, aproxima-se e começa uma conversa.

Após 5 minutos já passaram da conversa da treta para as piadas, das piadas para o onde é que esta este e aquele e dai para as experiências pessoais. Sorris porque afinal este tipo é porreiro e, mesmo sem pessoas à volta, estás à vontade, ele dá-te conversa. Começas a contar historias tuas e ele ouve, ri-se, volta às historias dele. Apesar de te ter ouvido pouco tempo, empenha-se em contar as coisas dele… os pensamentos, as teorias.

Ao menos dá-te conversa…

..e conversa…

…e conversa..

7 minutos depois o tipo continua.

Tentas interrompe-lo com as tuas, mas és logo cortado. Aquele vídeo engraçado no Youtube, pelos vistos é bem mais importante que todo o esforço que a tua irmã teve que ultrapassar quando sobreviveu ao acidente de carro e, desafiando todas as previsões do medico, voltou a andar. Os teus olhos procuram quem te possa safar, mas não ha ninguém, a sala está praticamente vazia e os poucos dispersam quando ouvem a voz do anfitrião, que continua a descrever a sua experiência com corta-unhas de Macau, comprados em terceira mão no OLX.

O Chão começa a tornar-se interessante. Começaste a focar nos mosaicos e a construir uma possível historia neles. Usas a imagem mental dos teus actores favoritos, talvez actrizes, talvez actrizes pornográficas. Talvez faças até, no mosaico do chão, um filme pornográfico com os teus actores e actrizes favoritos, e nesses pensamentos consegues alguma satisfação… enquanto o batimento cardíaco baixa e a voz do Anfitrião começa a ficar mais distante…

e distante…

estás praticamente auto hipnotizado nos mosaicos enquanto imaginas o Russel Crowe a praticar sexo tântrico com a Whoopi Goldberg e quando já até imaginas a banda sonora, um toque no braço direito traz-te de volta à realidade.

“Não achas? ahahahahahah!!!”

Agora tornou-se físico. Qualquer tentativa de quebrares a concentração é nula, este tipo parece ter a resposta para tudo. Estás destinado a carregar a cruz da humanidade. Tal como Jesus morreu na Cruz por todos nós, também tu tens que te sacrificar: Vais ouvi-lo até ao fim dos teus dias…. ou até o gajo se cansar.

O batimento cardíaco volta a subir.

O suor começa a surgir na tua testa.

Começa a escorrer pelo pescoço abaixo.

Começas a ver luzes e coisas que não estão lá.

A tua vista fica turva.

Perdes a força nas pernas e decides sentar-te no sofá. O anfitrião agradece-te a ideia, senta-se à tua frente e começa a relatar toda a sua experiência vitalícia em sentar-se em sofás.

Começas a ficar extremamente frustrado.

Assustado.

Gritas palavras incoerentes que acabaste de inventar.

Ele afirma que também consegue falar Italiano e descreve-te um livro inteiro de Culinária afegã.

Sem saída começas a cair no desespero.

Esboças um sorriso e soltas um riso baixo.

Começas-te a rir desenfreadamente.

Ele ri-se também e sente-se encorajado porque crê que está a achar piada à historia.

Ris-te com tanta força que quase nem consegues respirar. Todos os outros membros do teu corpo estão dormentes.

Nada.
Não pensas em absolutamente nada. Não vês absolutamente nada. Não fazes absolutamente nada.

O teu corpo está ali, mas a tua mente está desligada. Entraste em coma.

Quando acordas reparas que o tipo já lá não está a, mas que o Planeta foi colonizado por Iguanas superinteligentes e a raça humana foi caçada e escravizada.

Anúncios

Favores ao Rambo #2

Estava eu na boa na escola de condução quando oiço uma voz familiar:

-“Gueifão Pah!!! Foda-se já não te via aos anos!! ”
– “Oh, Rambo, tá tudo bem? Que andas aqui a fazer? ”
– “Pelos vistos o mesmo que tu!! Já fizeste exame?”
– “Não, falta umas quantas de código ainda…. Mas espera lá… Tu já tinhas carta!!”
– “Sim, dizes bem, tinha… Mas pelos vistos a de motorizada não é válida para conduzir tanques de guerra Panzer, e com todos os que passei a ferro no Iraque, já não dá para disfarçar nas multas.”
– “Eu não te avisei que estavas-te a esticar? Olha…. Foda-se não é o…”
– “O Darth Vader.. Ya, é ele.”
-“Então e o gajo não vem falar à malta? Cabrão. ”
-“Não soubeste? O gajo foi apanhado à saída da Autoestrada com a Estrela da Morte a 300.”
-“Então mas o que tem? Aquilo pode ir nos 350”
-“Pode, mas não é com a carta de taxista de 76”
-“Filhos da Puta… “

Dia de São Valentim…

Este dia de S. Valentim lembra-me um amor perdido. Um amor que terminou e destroçou-me. Mas nisto nunca esquecerei as palavras do meu Pai.

“Filho, estás assim porque achas que perdeste o Amor. Deixa-me dizer-te que a vida não é só isso. Um dia mais tarde vais entender. Quando comeres uma mista de torresmos, beijares uma prostituta Afegã que lava os dentes com bagaço e em seguida escreveres poemas existencialistas sobre viagens centradas nos hemisférios de um cu de um vagabundo Lisboeta que perdeu tudo na batota dos Ferroviários do Barreiro Velho, aí sim. Aí saberás o que é o amor.”

Cenas à Homem-Aranha.

Estava eu, na boa a andar na rua quando um carro faz a curva a 120 e quase que atropela-me. Só tive tempo de saltar para o lado e, quando dei por mim, estava agarrado à parede do prédio. Comecei a trepar com facilidade até que chego ao topo e começo a ouvir um tipo que tinha Iron Maiden a tocar. Começo a abanar a cabeça e faço os \m/. É aí que uma teia salta-me do pulso e agarra-se ao prédio da frente. Começo a balançar entre prédios e eis que uma cena viscosa preta vem atrás de mim. Enquanto fujo dela reparo num foguetão que está a ir para o Espaço, então pego-me a ele e prendo a cena viscosa preta no foguetão.

O gajo descola, e tal, e eu digo para mim:
-“Pah Gueifão, isto daqui do espaço até Alhos Vedros ainda é um esticãozinho, vais ter que aguentar o folego.”
e, só naquela, respondo a mim mesmo.
-” Isso de saltar do espaço não é problema, fodido é que eu enjôo a altas velocidades e, aqui no espaço, não estou a ver onde é a farmácia mais perto.”Então lá aguentei, saltei do foguete que estava no espaço, entrei na atmosfera terrestre e caí no descampado do antigo CRI. Levantei-me, cheguei a casa e tomei um aspegic.

Os Favores ao Rambo

Tava eu na boa a arrumar as coisas para sair do trabalho quando toca o telemóvel.

-“É Gueifão! Como é?”
-“Epa Rambo, já te tinha dito para não ligares de número privado…”
-“Tens razão, desculpa lá. Mas sabes o que é, as cabines telefónicas aqui de Marte ainda não têm indicativo, então isto liga sempre privado.”
-“Então e não tens telemóvel?”
-“Não tenho saldo…”
-“Pronto tabem. Tão mas tás em Marte? Disseram-me que ias para o Iraque com o Walker, o Ranger do Texas.”
-“E fui, mas pelo caminho apareceu o Freezer que embuscou-nos, apanhou o Walker e levou-o para a Quartel Secreto dele em Marte.”
-“Então mas se é Secreto, como é que sabes que é em Marte?”
-“O gajo disse…”
-“Foda-se também é um burro esse gajo! Então mas vocês não dão conta do Freezer? O gajo é um merdas!”
-“E dou, nas calmas, mas ele trouxe o Limburguer e o Mr.Bison! Precisamos da Força Universal.”
-“E tas-me a ligar? Liga para o Songoku pah!”
-“Pah eu tentei mas o gajo não atende…”
-“Pois é… ele deve tar a jogar Poker com os Smurfs!”
-“Yah…”
-“Foda-se! Tabem, passa aqui, mas depois levas-me às Arroteias!”

TV Merda #1 – Mr. Muscle Anúncio.

Não sei que raio de conclusão hei-de tirar isto. O Stan Lee deve estar louco de inveja em não ter conseguido desengatar um Super-Herói com o nome Senhor Músculo que dá forças para desentupires os canos.

Será que se deitar esta merda na televisão desentope a mesma de todo o esterco que lá passa, como este anúncio?

O Barman

Nunca pensei que o som emitido p’las teclas de um piano conseguissem ser tão pacíficas. Cada nota é como se fosse 1km de distância para longe desta espelunca…mas por agora, só preciso de fechar os olhos um pouco e imaginar-me a…

“- Oi! Puto! Estás a dormir ou quê? Da-me um Whiskey já!”

Pois, lá vai ter que ser.

Este imbecil de merda nem me dá um minuto de descanso, só se limita a pedir bebida atrás de bebida e a dar as maiores cantadas nas miúdas, que olham para ele com cara repugnante. É sempre o mesmo, todas as noites, leva negas atrás de negas e acaba sempre por ir para as traseiras com a Sra. Amélia, a puta cinquentona que consegue ser melhor pessoa que todos os clones que frequentam este bar.

Onze da noite ainda, nunca mais é hora de sair…